Controle Y



Flávio quer filmar transando?

“Vamos nos filmar transando?”

Controle Y Ilustração Gay Filmar transando

“Não sou fã de pornô”, foi o que eu disse para o Flávio quando ele sugeriu que filmássemos uma transa nossa.

Topei com a condição de que gravaríamos no meu celular e depois apagaríamos. Ok.

Luz, câmera, ação!

Começamos meio tímidos, mas logo nos empolgamos. Minutos depois estávamos gemendo muito alto e inventando posições – que claro, favorecessem o meu lado mais fotogênico.

Numa dessas posições iventivas tive uma mini câimbra, mas disfarcei perfeitamente! Flávio quase arrancou um pedaço da minha bunda com uma mordida, mas eu continuava com a cara de pleno. “Eu sou um porn star” – pensei!

Assim que acabamos, fomos logo assistir. Foi uma das situações mais horríveis em que já me vi na vida!!! É ai que você entende a importância da edição e da maquiagem nas genitais. O ângulo da câmera me deixou parecendo a Emanuelle depois da enchente, enquanto o Flávio era a Gretchen suada.

Deletei aquele gatilho em forma de vídeo e hoje em dia – fico noiado quando vou na casa de um cara e o notebook está apontado para mim. O medo de alguém me filmar transando é real!

Já o Flavio namora um cara e os dois tem um OnlyFans de casal. Não é que a bunda cabeluda dele faz sucesso?!


Pau Amigo ou Pau Inimigo?

Qual a diferença entre um pau amigo e um pau inimigo?

Ouça em outras plataformas:   Spotify   |   Deezer   |  Apple Podcast   |    Google Podcast   |   Anchor (gratuito)

controle y ilustração pau amigo ou pau inimigo

Fiquei com o Caio durante quatro anos. Longe deste ter sido o meu maior relacionamento. Foi só o cara com quem eu transei durante mais tempo. Uma pau amigo. Na verdade, hoje eu sei que ele está mais para pau inimigo!

Diferente do pau amigo – que se baseia na troca de prazer mútuo – o pau inimigo só quer se aproveitar de um momento de fraqueza para usar alguém.

Da minha parte, o tesão, a comodidade e o fato dele sumir durante um tempo às vezes, fez eu aceitar muita coisa. Mas eu sabia que algo estava errado.

Coisas do tipo

✖️Raramente ele topar quando EU queria vê-lo;

✖️Nos vermos somente depois de algum rolê dele que claramente havia flopado;

✖️Só me chamava de madrugada e se eu não respondesse, no outro dia ele me ignorava;

✖️Ouvi dele desculpas esfarrapadas do tipo “estou com o nariz muito entupido” para não me ver;

✖️Já tinha perdido as contas de quantos bolos tomei;

✖️Ele “compensava” as mancadas, mas sempre fazia tudo de novo;

Às vezes, relevamos o que é cômodo, mesmo quando não nos faz bem.

Podcast

Junto com Gabriela Moraes (@gabia.moraes) e Mateus Bacchini (@mateuscb), Y discute a diferença entre ser um bom amigo colorido e um escroto tóxico. As melhores histórias de paus amigos estão neste podcast.

Instagram: @controle_y


Questão de Gosto

A construção social por trás da “questão de gosto” e a diferença entre não se atrair por características e ser um escroto!

Ouça em outras plataformas:   Spotify   |   Deezer   |  Apple Podcast   |    Google Podcast   |   Anchor (gratuito)

controle y ilustração gay podcast questão de gosto

“O quanto eu estou disposto a relevar em troca de uma transa?” Foi o eu pensei no meio do meu date com o Fernando, enquanto mentalmente marcava no meu placar a segunda abstração da noite.

A primeira foi quando o Fernando ficou falando somente dele por duas horas. Já a segunda foi quando ele pediu calabresa acebolada numa daquelas CHAPAS com fogareiro de mesa!!! Fiquei defumado.

Acontece, que não consegui relevar uma terceira vez, quando ele apontou para dois gays afeminados do bar e disse que achava aquilo desnecessário e não curtia. Num tom pejorativo.

Quando perguntei o porquê, o próprio respondeu: ”questão de gosto pessoal.”

Fui ao banheiro e percebi que naquele dia eu não estava a fim de transar com um babaca.

Voltei para a mesa e disse:

Seu gosto é tão, mas tão pessoal que é igual o da maioria das pessoas. Né? Presumir que de todos os gays afeminados do mundo você não gostará de nenhum te torna mais limitado do que superior. Estou indo embora. E relaxa que a afeminada aqui pagou toda a conta.

Fernando foi o primeiro date que eu abandonei. Tem coisas que não dá para relevar por uma transa.

 

Podcast

Neste episódio, a psicóloga Andressa Crema (@andressacremapsicologa), Lucan Bazan (@eubazan) e Y, discutem a construção social por trás da “questão de gosto” e a diferença entre não se atrair por características e ser escroto.

“Seu gosto é tão, mas tão pessoal que é igual o da maioria das pessoas?”

Instagram: @controle_y