Controle Y



Mal de taurino

Ai de mim que sou taurino.touroo

Sou muito taurino. Realista, fofoqueiro e (muito!) teimoso. Algumas coisas simplesmente não entram na minha cabeça. Por exemplo, misturar doce com salgado. Respeito mas acho nojento! Faço algumas caras de repulsa e continuo respeitando. Apesar dessa minha cisma, não era vê-lo comer batata-frita com sundae o que mais me incomodava no César. Era o fato dele não transar! NUNCA!

Não tinha desculpas. Ele morava sozinho, falava putarias pelo whats, não era virgem e já havíamos trocado umas mãos bobas. POR QUE NÃO? Na terceira vez em que fui dormir na casa dele, pensei “agora vai!” Coloquei cueca boxer branca e passei perfume na virilha.

Chegando lá, conversamos um pouco e fomos assistir a um filme. Assim que ele deitou com a cabeça no meu colo, ou melhor, no meu pau – que estava muito duro -, ele levantou e ficou sem graça. Em toda posição que ficávamos meu pau o cutucava! Eu não estava conseguindo me controlar e ele não correspondia. Eu estava me sentido um tarado. Cheguei a cogitar se ele realmente não gostava de mim, mas era ele quem vinha me beijar.

“Quer pizza?” – ele perguntou. “QUERO SABER POR QUE NÃO TRANSAS, CÉSAR!” – pensei, mas falei “sim, de margerita, por favor”.

Mesmo comigo no cio, acabamos dormindo. No outro dia, ele me chamou para ir numa balada, aniversário de uma amiga dele. Resolvi ir.

Muita atenção nesta parte para não ficar confuso, caro leitor.

Após bebermos um pouco, ele me pediu em namoro. ACEITEI e fomos para a pista. “QUE. PORRA. É. ESSA?” – pensei ao vê-lo dançando, igual a um manequim do Torra Torra sendo reposicionado na vitrine. Tenso, duro, sem ritmo algum. Ridículo! Tive vontade de quebrar um pé dele pra parar aquilo.

Implorei para irmos embora – eu só queria sumir. Chegando na casa dele, começamos a nos pegar. Finalmente iria rolar algo! Sou guinage – ele me disse.”Oi? Foda-se!”

Fomos para cama e ficamos nos pegando e masturbando. Gizamos e fiquei pensando “queridinho, pra que usar esse nome para gourmetizar o boquete e a punheta?” No dia seguinte, disse que não queria namorar, pois em um mês, iria morar fora.

Taurinos são desconfiados e ruminam muito os sentimentos antes de tomar alguma atitude. Por exemplo, gostamos muito de alguém, mas assim como esse sentimento vem, ele simplesmente vai. Ambas situações são motivadas, às vezes, por um mero detalhe. O erro de alguém de touro é saber da existência desse detalhe e achar que pode ignorar. Quando, na verdade, era a sua teimosia querendo ‘tirar a prova’ de que aquilo poderia dar certo MESMO com aquele detalhe. Taurinos são loucos mesmo…

Moral da história: nunca namore alguém antes de vê-lo dançar.

Me siga no Instagram: @controle_y