Controle Y



Fernando, o sensitivo!

Marcia Fernando Ilustração Gif
Acredito que temos fases na vida. Em algumas atraímos pessoas incríveis, em outras não atraímos nada. No meu caso, na maioria delas, atraímos só o que não presta!
Eu não sei em qual delas eu estava quando conheci o Fernando. Sei que, segundo o Happn, cruzamos em Pinheiros e duas semanas depois estávamos na Balsa, um bar no centro. Era um sábado lindo e optamos por um date vespertino (adoro essa palavra). Daqueles que bebemos o dia inteiro e dá pra transar das 22h até de madrugada.
Nos primeiros 10 minutos, um cheiro de peido horrível dominou o ambiente – QUE ERA UM ROOFTOP! Não sei para que lado o vento estava, mas definitivamente não era a meu favor, pois a caatinga durou um tempo ali. Mesmo com nojo de abrir a boca, fingimos que nada aconteceu.
Enquanto ele me contava que era da Umbanda desde criança, senti outra vez o fedor, e ele tinha a mesma essência do anterior – fétida! Não aguentei e falei: “nossa, tem alguém podre aqui hoje”. Ele concordou e disse que tinha achado que era eu!!! Rimos e nos beijamos – no meio daquela aromaterapia de merda mesmo.
Como haviam poucas pessoas no recinto, começamos a acusar e eliminar os suspeitos. MELHOR. DATE. EVER!
No decorrer do dia, o incidente se repetiu várias vezes. Até que chegamos à conclusão de que era uma menina que falou que era vegana! No início do veganismo a pessoa tem muita flatulência por conta dos gases dos grãos – uma amiga me disse.
Mesmo sobre o cheiro de carniça, foi um dia bem legal e engraçado. No fim, na fila para pagar e ir embora, uma menina aleatória vira para nós dois e diz que ficará do nosso lado porque estão peidando na fila.
Enquanto ríamos junto com ela, que estava puta, ela me diz: “aff, vai no banheiro”. Apesar de achar um pouco direcionado para mim, ri e ainda acrescentei: “galera sem noção, né?” É só minha mania de perseguição, pensei.
De repente o Fernando me fala que ela disse que era eu quem estava peidando!!! E eu estava de guarda baixa, só consegui responder: “tá louca, não fui eu!” Uma atitude característica de culpado!!! Foi você sim: ela insistiu.
A minha vontade era de fazer um barraco, mas pensei que quando perguntassem o porquê da agressão na delegacia, responder “essa descontrolada me acusou de peidar” pareceria um pouco banal. 
Geralmente quem peida fica sempre muito ofendido e sempre diz: “eu não nego peido” EXATAMENTE O QUE FIZ! Já era tarde demais para fingir que aquilo não havia me afetado pessoalmente então decidi não falar mais sobre o assunto. O climão ficou mais denso do que o próprio peido.
Antes disso, Fernando e eu passamos num boteco para comer. Depois de voltar do banheiro, totalmente branco, ele me disse que viu um vulto.
Ué, Fernando, é super da umbanda mas não pode ver um vulto? Não entendi!
Enfim, acho que ele realmente achou que era eu quem estava peidando, mas eu dei um fora antes.
O bom de um date vespertino é que dá para dar a desculpa de que havia combinado algo com as amigas e havia esquecido de avisar. Foi o que fiz.
NÃO. PEIDEI!

Porque ninguém chega em você na balada?

dance gif raptor

31 motivos porque ninguém chega em você na balada:

  1. Acharam que você peidou na pista.
  2. Você é intimidador.
  3. As pessoas são sensitivas e estão vendo que você tem um encosto.
  4. Você já pegou um dos amigos do grupo e ele avisou todos os amigos.
  5. Todos estão de promessa de não beijar.
  6. Você tá pingando suor e todo mundo de lá é fresco.
  7. Cagaram na balada. Ninguém vai chegar em ninguém.
  8. Você dança estranho.
  9. Você é mal falado.
  10. Quando alguém puxa assunto contigo, você só sabe falar do seu último relacionamento.
  11. Você vomitou no meio da pista.
  12. Você não limpou o vômito do seu rosto.
  13. A música tá boa demais ao ponto de ninguém olhar pro lado.
  14. Você está sangrando pelo nariz!
  15. Você não consegue parar de chorar.
  16. É uma balada que a galera prefere dar close do que dar beijo.
  17. O ambiente é escuro demais. Ninguém está enxergando ninguém.
  18. O seu namorado está do seu lado, piranha!
  19. Culpa do DJ ruim. Deixou todo mundo irritado.
  20. Tem alguém espalhando boatos (falsos?) de você na boate.
  21. Você tá embaixo do ar condicionado e seu nariz está escorrendo muito.
  22. Era “cedo demais” para pegar alguém e de repente você está no Uber voltando pra casa.
  23. Você está no ambulatório.
  24. No evento da festa todo mundo combinou que ninguém iria se pegar…
  25. Você tá com cara de cu porque está tocando uma música ruim.
  26. Não é uma balada é um culto.
  27. Você já partiu o coração de todo mundo no recinto.
  28. Todo mundo da balada já é comprometido.
  29. Você não olha de volta e ainda desvia o olhar de todo mundo que te olha.
  30. Aconteceu um livramento e você escapou de conhecer o maníaco da lenda urbana que tem gente morta em casa e passa bacterias de decomposição pra todo mundo.
  31. Você é lindo demais.
Não coloque em cheque a sua aparência toda vez que você sai e não beija ninguém.

Você queria namorar?

Depois que levamos uns 54 “precisamos conversar” na vida, criamos uma certa resistência. Cheguei num nível que prefiro que tudo se resolva pelo inbox do Instagram mesmo. Nem fodendo que farei baldeação para levar um pé na bunda. Uma questão de otimização de tempo.

Quando o Renam falou: “precisamos conversar, não quero nada sério”, fiquei de boa e aceitei – como de costume – o pé na bunda. Estava indo seguir minha vida, dar unfollow no Twitter, parar de seguir atualizações, enfim, todo o ritual até que percebi que quase deixei passar – EU NUNCA QUIS NAMORAR ELE TAMBÉM!

– Só deixando claro, eu também não estava pensando em ter nada sério com você, Renam. Foi mal se dei a entender outra coisa – respondi.

– “Ah, então podemos continuar nos vendo”, ele respondeu.

Antes de colocar o desfecho desta história, gostaria de dizer duas coisas, caro leitor:

  1. Renam sempre tentou sair por cima de mim. Vivia falando que pegava outras pessoas e ressaltava defeitos meus. Tudo isso em dois meses. Tolerava tudo isso porque, sinceramente não me afetava e porque ele transava bem.
  2. Toda essa “acomodação a pé na bunda” não deve nos impedir de dizer o que realmente pensamos e sentimos. Reveja isso para não acumular humilhações a toa!

Quer terminar comigo por qualquer outro motivo? Aceito. Agora terminar porque você DEDUZIU que estou te amando? NÃO, bb! Se isso foi um pé na bunda, também estou te dando. Em outra época eu ignoraria e seguiria com minha vida, mas essas eleições fizeram eu ver que não sou obrigado! Era para ninguém soltar a rola mão de ninguém, Renam e você aí sambando no meu ego.

– “Continua colocando 20 hashtags nas suas fotos no Instagram e seja feliz, Renam. Flw, Abraço” – Respondi. Ok, sou ressentido e para parecer mais frio ainda recorro ao vocabulário ht. 

 

Vale ressaltar: Imagine que namorar é ter um carro. Tem IPVA, seguro, estacionamento, revisão, vallets da vida, etc. Exige toda uma atenção e cuidado. Pode ser que um dia eu ande de Renaut Logan no Uber e queira comprar o Renault Logan. Não é o seu caso, Renam. Não é porque te dei cinco estrelas que não quero usar meus vouchers da Cabify e do 99!

OBS.: O segredo é ser tipo Moonrise Kingdom, sabe? Se apaixone, viva algumas aventuras e pronto! Ou você acha que a menininha iria ficar com ele pro resto da vida?

OBS2.: Ter um pau amigo está mais difícil do que namorar, gente. Eu não sei o que acontece, as pessoas não estão mais querendo transar!!!

Não esqueça do que vc quer e não deite para ninguém.


Quer compartilhar uma história? contatodocontroley@gmail.com

Aqui é tipo Linha Direta: sua identidade será mantida no mais absoluto sigilo. Ah, e você ainda ganha uma ilustração.